Cher

Biografia - Cher

Cher
Cher 19.946 visitas

Cherilyn Sarkisian ou simplesmente Cher (nascida em 20 de maio de 1946) é uma cantora e atriz dos Estados Unidos. Figura vital na cultura popular por mais de cinco décadas, ela é por vezes chamada de "Deusa do Pop" por ter sido pioneira em trazer os conceitos de autonomia feminina e auto-atualização para a indústria do entretenimento. Ela é conhecida por seu característico contralto, por ter trabalhado nos mais variados tipos de mídia e por reinventar continuamente sua música e imagem. Sua figura chamativa também é famosa por induzir controvérsia.

Nascida em El Centro, Estados Unidos, Cher despontou para o estrelato em 1965 como parte da dupla de pop rock Sonny & Cher, popularizando uma característica sonoridade suave que competiu de forma bem-sucedida com a British Invasion e o Motown Sound predominantes na época. Após um período em que a dupla foi ultrapassada pelo surgimento da "cultura das drogas", Cher ressurgiu como uma estrela da televisão na década de 1970 com seus programas The Sonny & Cher Comedy Hour e Cher, que atraíram imensa popularidade. Ao mesmo tempo, ela lançou vários sucessos solo que chegaram ao topo das paradas e lidaram com temas incomuns na música pop, incluindo "All I Really Want to Do", "Bang Bang (My Baby Shot Me Down)", "Gypsies, Tramps and Thieves", "Half-Breed", "Dark Lady" e "Take Me Home". Ela também se tornou uma lançadora de tendências de moda com seus figurinos ousados, tendo sido reconhecida como a primeira mulher a mostrar o umbigo na televisão. O impacto de Cher na época, como descrito por Phill Marder da revista Goldmine', "liderou o caminho para o avanço da rebelião feminina no mundo rock, uma vez que ela era "o protótipo da rock star feminina, ditando os padrões de aparência e (…) atitude"

No início da década de 1980, Cher fez uma aclamada estreia na Broadway e atuou no filme Silkwood (br: Silkwood - O Retrato de uma Coragem; pt: Reacção em Cadeia), pelo qual ela foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante em 1983. Nos anos seguintes, ela se consagrou como uma das atrizes de cinema mais aclamadas da década, atuando em sucessos comoMask (br: Marcas do Destino; pt: Máscara), The Witches of Eastwick (br/pt: As Bruxas de Eastwick) e Moonstruck (br: Feitiço da Lua; pt: O Feitiço da Lua), pelo qual ela ganhou o Oscar de melhor atriz em 1988. Ao mesmo tempo, ela se estabeleceu como uma cantora de rock respeitada lançando uma séries de álbuns bem-sucedidos e hits como "I Found Someone", "If I Could Turn Back Time", "The Shoop Shoop Song (It's in His Kiss)". Na década de 1990, ela fez sua estreia como diretora de cinema em If These Walls Could Talk (br: O Preço de Uma Escolha; pt: Perseguidas; 1996) e lançou o single mais vendido de sua carreira, "Believe", que revolucionou a indústria musical graças ao uso inédito do Auto-Tune (também conhecido como "Cher Effect"). Ao longo da década de 2000, ela embarcou em uma série de turnês que figuraram entre as mais bem-sucedidas da história.

Segundo o biógrafo Mark Bego, "ninguém na história do show business teve uma carreira com a magnitude e o alcance da de Cher." Ela ganhou um Oscar, um Grammy, um Emmy, três Globos de Ouro e um prêmio de interpretação feminina no Festival de Cannes, entre outros, por seu trabalho no cinema, na música e na televisão. Ela é a única pessoa na história a receber todos esses prêmios. Reconhecida como uma das artistas mais bem-sucedidas de todos os tempos, ela vendeu mais de 100 milhões de álbuns solo em todo o mundo e 40 milhões de gravações como Sonny & Cher. Ela é a mulher mais velha (aos 52 anos) a ter uma canção em primeiro lugar na parada musical mais importante do planeta, o Hot 100, e é a única artista a alcançar o primeiro lugar nas paradas da Billboard em cada uma das últimas seis décadas.

Na década de 1960, Cher ajudou a popularizar a imagem hippie e lançou as famosas calças boca-de-sino. Primeira mulher entre pessoas famosas a se tatuar, espalhando várias tatuagens pelo corpo – em uma época que não era moda entre artistas populares – e a primeira a mostrar o umbigo em um programa de televisão. Ela mudou de estilo musical várias vezes ao longo de sua carreira, passando pelo folk, pop, disco e rock. Segundo o jornalista Claudio Campos, do portal de entretenimento Bagarai, "cantoras como Madonna e Lady Gaga têm um débito enorme com ela. Ambas entenderam que, para se manter no mainstream, deve-se estar sempre mudando, lançando tendências (ou aproveitando delas), ajudando a difundir modas, visual exótico, figurinos misteriosos e sensuais, videoclipes ousados."

Em 2010, Cher co-estrelou o musical Burlesque, contribuindo para a trilha sonora do filme com as canções "Welcome to Burlesque" e a ganhadora do Globo de Ouro de melhor canção original "You Haven't Seen the Last of Me". Em 2012, Cher lançará seu primeiro álbum de estúdio desde Living Proof (2001), que contará com colaborações de P!nk ("I Walk Alone"), RedOne, Timbaland, Lady Gaga ("The Greatest Thing") e Paul Oakenfold ("Woman's World").

Discografia

1. All I Really Want to Do (1965)
2. The Sonny Side of Cher (1966)
3. Chér (1966)
4. With Love, Cher (1967)
5. Backstage (1968)
6. 3614 Jackson Highway (1969)
7. Gypsys, Tramps & Thieves (1971)
8. Foxy Lady (1972)
9. Bittersweet White Light (1973)
10. Half Breed (1973)
11. Dark Lady (1974)
12. Stars (1975)
13. I'd Rather Believe in You (1976)
14. Cherished (1977)
15. Take Me Home (1979)
16. Prisoner (1979)
17. Black Rose (1980)
18. I Paralyze (1982)
19. Cher (1987)
20. Heart of Stone (1989)
21. Love Hurts (1991)
22. It's a Man's World (1995)
23. Believe (1998)
24. Not.com.mercial (2000)
25. Living Proof (2001)

Comentários no Facebook

Vídeo do Youtube