3030

Ossos do Oficio

3030
3030 494 visitas
Composição: Fred Sabino / 3030

Sem essa de que isso é competição
Sem pressa falsos vem para apertar minha mão
Querem apertar mais um, não
O bonde aqui é da sul então
Chame do que quiser, só pureza no coração
Dureza é a divisão, inútil, egóica
Pensamentos negativos, tensão sem lógica
Treino nos perrengues hoje eu posso andar nas crises
Sem mostrar meu ponto fraco, aqui é sem calcanhar de aquiles
Mcs atiram misseis, muito "disse me disse"
Alguns só fingem, eu viso por uma letra que te atinge
O bonde insiste, nossa bandeira é paz, nossa poesia é rj
Só quem tem moral de cria
Eu sou um soldado do espaço, buscando meu espaço
Aqui ninguém é bom exemplo, então não siga meus passos
São traços imperfeitos sim, certo por linhas tortas
Meu rap se fez assim, to perto e com o pé na porta
Eles vivem uma vida morta, eu trago vida na batida
Rimas, de outras vindas em uma terra remota
Separados somos forte juntos somos invencíveis
Lutando por nossos sonhos nos tornamos imbatíveis

Não dá vontade nem de revidar
A vida sempre cuida então tudo bem
Se for pra me sufocar, nem vem, nem tem
Nem preciso me vingar
A vida sempre cuida então tudo bem
Se for pra me complicar, nem vem, nem tem

Mas então, a vida sempre cuida de quem não muda
Tu não vai colher arroz se tu plantou arruda
Nosso caminho é de luz então vamos iluminando toda esse ruindade
Que ronda a nossa comunidade
(Dominando a vontade de explodir)
Pensando friamente não da nem pra ficar puto
Pode saber mano, que vagabundo não taca pedra em árvore que não dá fruto
Já tive ressaca desses merda
Tempo em que energia errada me atingia, eu dava brecha
Ele fingia e atuava, bondade é diferente de ingenuidade
(Puta merda, eu não sabia)
Tive que conhecer o meu pior lado
Um monstro que vinha gestando a muito mais que nove meses
Querer ser puro sem conhecer a própria maldade é ser ingênuo duas vezes
(E hoje mantenho a fé em Deus)
Então seguimos na pureza porque se estourar fudeu
Eu não vou me perder de novo, conheço o jogo
Encontrei com lk e rod nas ruas de botafogo
Fala tu, fala tu, meu mano, como é que pode?
(Vagabundo vive dando azar pra sorte, não fode)
Se o malandro soubesse como é bom ser do bem
Ele seria do bem só de malandragem
Você atrai o que emana, sou nômade camaleão de alma cigana, tamo na fita
Coragem pra vencer na vida mano
Ou você renasce, ou vai morrer aos 30(30)

Não dá vontade nem de revidar
A vida sempre cuida então tudo bem
Se for pra me sufocar, nem vem, nem tem
Nem preciso me vingar
A vida sempre cuida então tudo bem
Se for pra me complicar, nem vem, nem tem

Mais saco pra esses pela sacos
E se for fé que mede um homem junta todos esses moleque e some
Não é que eu sou contra esse seu ego, primo
Rap ostentação deixo pros gringos leva todos esses seus nike e come
Brasil é fome, mundo contexto errôneo
Fakes no microfone não vão apagar meu sonho
É a guerra entre o bem e o mal, guerra entre o amor e o ódio
Ghandis morrem na cruz e hitlers sobem ao pódio
Sabia, o sabino é louco também, desci o morro
As pistas de botafogo e mostrei as regras do jogo
Onde cresci ninguém é rei, no rap tem usurpadores
Cantei a pedra, ingênuo é quem acredita em fair play
Eu não sei dessas merdas mano, desde o início
R.a.p. Até os ossos e não ossos do ofício

Eu só enxerguei benefício
Eles disseminam a guerra, mas pra corromper minha alma é difícil

Comentários no Facebook

Vídeo do Youtube